terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Run Forest, run! Uma Jornada pela Saude!

Tenho visto alguns blogs de gente que se ajuda a conquistar coisas e visitando o blog da Lua (vidaedisciplina.com) eu percebi que isso pode me ajudar também, afinal, organização e determinação são coisas incongruentes a um TDAH, mas pouco me importa isso agora, desejo romper meus limites e conquistar o que desejo.
Não gosto muito de ficar parada. é verdade.
Acho que nunca fiquei.
Mas para me movimentar tenho que sentir um minimo de vontade, de razão, de motivo para isso.
Quando tinha uns 13 anos era moda fazer academia, localizada, step (kkkk) essas coisas...
Algumas amigas faziam... eu fiz também, por causa delas. Elas queriam companhia. Eu fui junto. Quem sabe até emagrecesse um pouco, porque eu sou (e era mais ainda) daquele tipo de mulher que sempre quer estar um pouco mais magra. Já fui magra, talvez muito magra (40kg) mas nunca me vi assim. Porque não sou do tipo seca, magrela... então se falavam que exercicios emagreciam, eu iria certamente tentar!
Não entendia muito sobre a percepção do corpo, sobre posturas,  musculos e articulações.
Eu me perdia no meu proprio corpo.
Mas fui aprendendo.
Aos poucos.
As aulas eram divertidas, cheias de musicas altas, o que eu sempre amei, então eu acabava encarando as aulas principalmente a de aeróbica e a de step, como se fosse uma dança, uma coreografia. Eu amava. Me divertia um monte!
Fui entendendo de ritmo, de percepção sobre o meu corpo, sobre coreografias, posturas, respiração e essas coisas todas. Mas eu tinha 16 anos nessa época e logo cansei.
Quando tinha por volta de 17 anos fui à uma praia com amigas, nas ferias e aprendi a amar o mar, a agua, a areia, o vento, enfim, praia.
Quando voltei a cidade onde estudava, eu não tinha praia... mas a paixão continuava e decidi usar mais o clube, passei a ir todo dia, comecei a fazer natação, aprendi a nadar, com muito sacrifício... percorria a distancia de tres azulejos da piscina e tinha que parar para respirar, a professora chegou a perguntar se eu fumava, pois a minha falta de capacidade cardio respiratoria era incrivel... Mas eu não desisti. Eu precisava estar perto da agua. Na água.
Aprendi a nadar uma piscina inteira e depois mais. E já não ficava tão ofegante! Tudo bem devagar. Mas progredi!
Pouco tempo depois, um ano depois, talvez, eu parei. Não me lembro porque.
Na faculdade minha amiga me implorou para fazer natação comigo, eu fui, por puro companheirismo.
Mas conheci meu marido e ele me ensinou um outro jeito de ver a natação, a agua, o corpo. Aprendi sua tecnica de um nado mais eficiente, mais bonito, mais significativo e ai comecei a nadar 2 mil metros todo dia.
Minhas costas eram fortes, grandes e meu corpo de jovem (daquela época) era saudavel, por puro prazer. Barriga trincada e nenhuma gordura fora do lugar. Mas eu ainda continuava dizendo que precisava emagrecer... Loca!
Quando casei parei com tudo, precisava trabalhar, conquistar meu lugar ao sol e não cabia na minha nova rotina nenhum exercicio.
Depois vieram os filhos. E voltei meu olhar para as minhas funções e esqueci de mim. Da minha pessoa, do meu corpo, dos meus prazeres, gastava tudo o que tinha de energia com os bebes, não dormia, não tomava banho, não comia como antes, tudo que era para mim ficou de lado. Não importava. Eu esqueci de mim.
Quando eles cresceram um pouquinho, uns 3 anos de idade, eu comecei a lembrar aos poucos de mim mesma, estou caminhando nesta fase ainda, para me lembrar de mim, do meu corpo que hoje me assusta.
Hoje não desejo mais fazer exercicios para emegrecer, espero que aconteça, mas não é meu objetivo maior. O que desejo é saúde, qualidade de vida, resistencia, desejo envelhecer saudável, ter energia, força e disposição!
Entendi que isso não virá de graça, não será mais como antes que eu não fazia esforço, comia de tudo e continuava com um corpo muito legal. Hoje não desejo mais ser magra, seca, desejo apenas ter saude. Ter um corpo bonito pela saude que ele demonstra, não pelo peso marcado na balança.
A parte mais facil desse processo é vir aqui escrever sobre isso. O dificil, quase impossivel é arranjar com o marido um tempo para correr e nadar, dificil quase impossivel é segurar minha ansiedade na hora de comer um prato de comida deliciosamente gorda. Dificil, quase impossivel é mudar toda a minha cosciencia para incorporar um novo estilo de vida, com alimentação mais saudavel e exercicios regulares. Que saco gente.
Só que hoje sei que meu corpo paga o preço, que é caro, por conta da minha falta de rotina. Rotina é uma palavra problematica para minha vida.
Já rompi várias barreiras, já aprendi a correr pequenas distancias, ate agora 4km foram meu maximo que conquistei correndo sem parar, num trotezinho leve e constante. Que delicia. Toda consquista é boa demais, o gosto da vitoria misturada a toda endorfina liberada em 1 hora de corrida dá uma sensação deliciosa, melhor do que qualquer comida já me deu na vida!
Correr é algo que aprendi a amar nesse ultimo ano (2012) Comecei em setembro e em outubro já estava meio viciada, sentindo falta quando não corro... porque correr é muito mais do que um exercicio... é  um momento de meditação, de contemplação, de diversão.
Ligo meu som no celular, fiz uma play list bem animada, no meu caso: rock classico mais pesado, tipo ac/dc, the clash, essas coisas. Abro bem os olhos, reparo a natureza dos lugares por onde corro, sinto o vento, o sol, vejo as senhorinhas correndo mais rapidamente do que eu, vejo as meninas mais novas do que eu conversando com amigas, vejo uns maratonistas voando baixo e eu no meu ritmo, no meu som, no meu corpo, na minha mente, em paz, conquistando saude. É uma delicia, não preciso nem dizer.
Mas correr precisa de rotina, precisa de alguem para cuidar dos meus filhos enquanto eu cuido de mim e fazer isso não é assim tao simples quanto parece. Se eu conseguir romper essa barreira, certamente construo minha rotina de exercicios, pois eu aprendi a ama-los e a sentir falta deles. Mas minha prioridade é minha familia e quanto a isso pouco posso fazer alem de tentar negociar e torcer muito para que alguem possa me ajudar a organizar meu tempo.
Pretendo descrever minhas rotinas de corrida/ natação aqui, bem como minhas conquistas, quem sabe isso me ajuda a ter uma rotina, uma agenda mais organizada.
Por hora é isso.


2 comentários:

  1. Nossa eu cansei só de pensar...
    Nunca consegui fazer academia. Nunca, nunca, nunca!
    Só faço exercícios ao ar livre e no máximo fiz natação. Agora tenho q voltar a fazer, recomendações médicas! Afinal, nada melhor do que se cansar para cansar o cérebro.

    Que legal que vc tb corre mesmo!
    Adoro, acho q o melhor esporte que tem. Mas tem dias q acordo tão cansada e se eu não for de manhã já era. A médica me disse que é porque tenho fadiga. Agora com o diagnóstico do meu caso acho q isso muda.
    Espero!

    Vou lá ler o post da Rita
    ;)

    ResponderExcluir
  2. Vamos Correr Lua!!!! Enquanto a gente corre alcançamos o que está pela frente e deixamos o passado para tras!!!!

    ResponderExcluir